Se Rasgum discute o futuro do consumo da música

Publicado em: 03/11/2020
Autor: Isabella Moraes
Assunto: Sem categoria
Tempo de leitura: 3 minutos

Qual será o futuro do consumo e da distribuição da música? Essa é uma das questões que serão tratadas durante o debate “Onde dou o play?” que será realizado nesta quinta-feira (dia 29), às 20 horas, dentro da programação do Music In The Tablet (MITT).  Realizado pelo Festival Se Rasgum, a semana de formação voltada para o fomento da economia criativa da região e, agora do Brasil todo, irá ao ar no canal de TV oficial do Festival no YouTube (YouTube/serasgum).  O bate-papo irá contar com a participação de Leo Bittar, proprietário do Discosaoleo; Julia Weckelmann, DJ e colecionadora de vinil; Juli Baldi, integrante do Bananas Music e Mapa dos Festivais; Pena Schmidt, produtor cultural; e a mediação de Brunno Constante, label manager da Believe Music.

14º Festival Se Rasgum / Espaço Náutico Marine Club – 01/11

Na opinião de Juli Baldi, Diretora Criativa do Bananas Music e do Mapa dos Festivais, apesar de algumas medidas serem emergências – como o fato da maioria dos festivais de música adotar o formato virtual em 2020 – algumas dessas novas práticas irão fazer parte do nosso cotidiano.

“Mesmo quando a pandemia passar, os festivais vão precisar oferecer o formato híbrido da experiência física e virtual. Digitalizar entregas, comunicação, experiência é um caminho sem volta. A possibilidade de transmitir online democratizou o acesso para muitas pessoas. Hoje conseguimos participar de eventos gringos que antes seria impossível, e também ficou mais fácil para alguém com dificuldade de mobilidade ou financeira, ampliando o público para artistas e festivais”, afirma Baldi.

Para o jornalista Brunno Constante, label manager na distribuidora digital Believe, o mercado tem que se preparar agora para o retorno dos shows ao vivo, sem cair nas armadilhas de atalhos.

“As iniciativas online não conseguem equiparar os valores da presença de público, muda completamente a experiência do fã. As lives foram uma bolha, que acabou. Agora vemos shows em drive-in, shows com a capacidade reduzida. Isso são soluções a curto prazo. Nada irá substituir a presença física nos shows e festivais, e para a gente voltar a ter festivais mudança que tem que ser feita é na estrutura das casas de shows para receber o público de forma segura”, diz Constante.

Independente das tendências mercadológicas, Leo Bitar acredita que o consumo de música é uma relação afetiva. Proprietário do Discosaoleo, loja especializada em vinil localizada no centro histórico de Belém, seu selo tem no catálogo trabalho de amigos músicos como Pio Lobato, Ana Clara, Molho Negro e Meio Amargo. Com prensagens limitadas a 300 cópias no máximo, cada vinil vira uma peça de colecionador.

“O mercado do vinil não é uma aposta, é um agrado. Tem muita gente que compra vinil no Brasil, mas ainda é muito restrito. Você aposta no artista, no som mais agradável pra ouvir. É mais quente, tem mais corpo, mais ambiente. Então a aposta é em produto artístico, não em mercado”, define Bitar.

SERVIÇO:

O debate “Onde dou o play?” será realizado nesta quinta-feira (dia 29), às 20 horas, dentro da programação do Music In The Tablet (MITT). As atividades de workshops e masterclass terão inscrições pelo site Sympla (www.sympla.com.br) com transmissão pelo aplicativo de videoconferência Zoom (zoom.us). Com o patrocínio master da Natura Musical, através da lei semear de incentivo à cultura, e patrocínio da Petrobras, pelo edital Petrobras Cultural através da lei federal de incentivo à cultura, o Festival Se Rasgum TV Show será transmitido gratuitamente no YouTube (YouTube/serasgum) durante os dias 14, 21 e 28 de novembro de 2020.